Poemas para criançasThis is a featured page

Sempre Criança
Menino, vem, vou te levar pra ver
paisagens pra brincar,
não vais querer crescer:
Veja quem vai nos levar
por esse pedaço de céu.
É o meu cavalo Carrossel...

Com o teu jeito de criança,
vais teimar com o vento,
e rir das marcas dos teus pés pelos caminhos.
E um dia já distante,
em uma janela da cidade,
lembrarás desses campos,
com saudades...







O livro

Eu sou um livro,
sou importante.
Tenho um trabalho
emocionante

É com palavras
que me sustento
e nelas levo
conhecimento.

Se alguém procura
o que fazer,
sou opção
de bom lazer.

Eu posso ser
muito engraçado,
deixar você
bem humorado.

Eu posso ser
seu professor
e lhe ensinar
com todo amor.

Eu posso ainda
ser seu amigo,
levar você
sempre comigo.

Eu só não posso
fazer careta
se me abandonam
numa gaveta.
















A saúde do corpo
Poemas para crianças - TICE
Para ser bem alimentado,
De tudo terei que comer
É preciso muito cuidado
Para, sadio, crescer.

Se comer apenas doce,
Enchidos, fritos e pão,
A minha saúde acabou-se
E ficarei um balão.

Se não quero engordar,
Frutos e legumes terei de comer.
Gorduras e doces vou dispensar
Mesmo que me dêem prazer.

Ovos, carne, leite e peixe
Terei de comer com moderação
E mesmo que alguém me deixe
À gula vou dizer não!



À descoberta de si mesmo

No ventre da minha mãe
Sentia-me muito quentinho…
Ela sabia cuidar bem
Do seu querido filhinho.

Um dia, quis ver o sol
E do ventre da mãe saí…
Ouvi o cano do rouxinol,
Dei-me conta que nasci.

Sei quando nasci,
Sei quando comecei a andar,
Sei que já cresci,
Aprendendo a falar!



Ser Criança

Poemas para crianças - TICESer criança é achar que o mundo é feito de fantasias
Sorrisos e bricadeiras
Ser criança é comer algodão doce e lambuzar-se
Ser criança é acreditar num mundo cor de rosa
Cheio de pipocas
Ser criança é olhar e não ver o perigo...
Ser criança é sorrir e fazer sorrir...
cris32









Uma gotinha...
Se uma gotinha falasse,
o que iria dizer?
- Unida a muitas gotinhas
o rio faço crescer.
Se uma gotinha falasse,
o que iria dizer?
- Ao cair num copo cheio
a água nâo pude conter.
Se uma gotinha falasse,
o que iria dizer?
- Após uma noite fria,
sou o orvalho, podes-me ver.
Se uma gotinha falasse,
o que iria dizer?
- Sozinha sou pequenina
junto a muitas grande vou ser.
Se uma gotinha falasse,
o que iria dizer?
- Os raios do lindo Sol
em mim consigo reter
e um lindo arco-íris vou fazer.
Se uma gotinha falasse,
o que iria dizer?
- Evaporo, formo as nuvens
e caio ao solo ao chover.
Se uma gotinha falasse,
tanto iria dizer!







PEIXINHO TRISTEPoemas para crianças - TICE


Sou peixinho na lagoa
Que vida boa
Eu tinha
Comia plantinha
Nadava tranqüilo
Até que aquilo apareceu

Que confusão!Era a tal poluição!

Minha comidinha diminuiu
O oxigênio escasseou
E a água limpinha pretinha ficou

Que vida triste...Eu tenho!
Sou peixinho...Quero viver
Será que alguém lá na terra
Quer ver-me morrer?

Denise Severgnini








A BORBOLETA E A CHUVA Poemas para crianças - TICE
Voa, voa borboleta.
A chuva vem no caminho.
Corre aqui pro meu cabelo
que mamãe chama de ninho.

Vem se esconder borboleta,
eu conheço um bom lugar.
Aqui nesse meu cachinho
a chuva não vai te achar.

Pra onde vais, quando chove?
Por que que nunca te vejo
quando toda chuva cai,
se saber é meu desejo?

Um trovão manda o aviso
e a nuvem cinza abre o véu
e eu te peço borboleta,
não fuja lá para o céu...




A Rolinha, andou, andou

Poemas para crianças - TICE

Olha a rolinha, andou, andou,
caiu no laço e lá ficou.
Dá-me um abraço e troca o passo,
olha a rolinha, caiu no laço.

Olha a rolinha, lá ia, ia,
debaixo d'água, ninguém a via.
Dá-me um abraço, com desembaraço,
olha a rolinha, caiu no laço.




Poesia:
As cores


Poemas para crianças - TICE
Amarelo é um pinto
amarelo é um limão,
amarelo é a cor do sol
que brilha no verão.

Azul é o céu,
azul é o teu olhar,
azuis são as ondas
que brincam no mar.

Verdes são as folhas,
verde é a esperança,
verde é a relva,
onde brincam as crianças.

Castanho é o tronco,
castanha é a montanha,
castanho é o macaco
que come a castanha.

Vermelho é o casaco,
vermelho é o calção,
vermelho fico eu quando
me chamam a atenção.

Laranja é um fruto,
laranja é o leão,
laranja é o sumo
que bebo de mamão.

Rosas são as flores,
rosa é o amor
Os beijos são rosas
de belo sabor.

Cinzenta é a nuvem,
e as gotas também,
cinzento é o dia
em que o amigo não vem.



Coelhinho
Engraçado



Poemas para crianças - TICE




na floresta,Um dia lá
Surgiu um novo bichinho,
Ele era muito engraçado,
Engraçado coelhinho.


Ria o rato, ria o esquilo,
Raposão não aguentava...
O bicho não estava acabado.
Rabinho lhe faltava !

Olhou, então, o coelho,
No rio, o seu retratinho.
Lá, no lugar do rabinho,
Estava liso, lisinho!...


Mas o coelho era esperto,
Teve a ideia genial:
Um rabinho de algodão
Ele arranjou afinal!









pis coloridos

Perfilados, apontados,
estão todos bem guardados
numa caixa tão bonita,
desenhada e com fitas !

São erectos, são brilhantes
coloridos, elegantes!
Têm o corpo de madeira,
têm a cor na cabeleira !

O azul colore o céu,
o verdinho aviva as folhas.
Pra pintar um bom painel,
o tom fica a sua escolha!

Tenho um sol brilhante e belo
com o lápis amarelo!
Lápis preto escurece,
e o desenho entristece!

Com o branc em fundo escuro
quando vejo,
sempre gosto!

Maria da Graça Almeida


POEMA DE VERÃO

Poemas para crianças - TICE
O mar azul em pedaços Vislumbra-se, além, brilhante, Entre colunas antigas. Sinto-o feliz, deslumbrante. A brisa morna acelera A nossa respiração, E cria a breve escumilha, Que anima a rebentação. As buganvílias vermelhas Surgem do lado direito, Enquanto a vela desliza A melhorar o efeito. Desenhada sobre o céu, Uma T-shirt amarela No corpo de belo jovem, Aumenta o vigor da tela. Pintar eu não sei, quem dera Conservar o quadro vivo, Que observo da esplanada Neste Verão intensivo.


Poemas para crianças - TICE






S.João a 24 .
S.Pedro a 29
Santo António a 13
Por ser o santo mais nobre


No altar de santo António
Está um vaso de açucenas
Onde vão as moças todas
A chorar as suas penas


S. João é muito rico
Tem cascatas, carvalheiras
Tem cravos , tem manjericos
Orvalhadas e carvalheiras










O GRILO



Poemas para crianças - TICE
Faz a casa no jardim
Onde gosta de morar,
É pequeno e mesmo assim
Nunca se cansa de cantar.

Dá-se bem quando há calor
Por isso no verão mais canta,
E até parece um amor
Quando as asinhas levanta.

Não tem sono nem fastio,
Servem-lhe alface ao jantar,
E a cigarra ao desafio
Põe-se com ele a cantar.


OS ALIMENTOS


Poemas para crianças - TICE



Um dia os alimentos
Resolveram passear,
Encontraram-se todos
Começaram a falar.

E de tanto conversarem
Chegaram a uma conclusão,
Todos iam ser comidos
Quer quisessem ou não.

A pedra é que se ria
No meio da confusão,
Pois não ia ser comida
Pelo porco golutão.

Não ia ser comido não
Ser comido não...


Dedos Coloridos
Esse meu dedo verde,
foi a mamã quem me deu,
pois plantei um limão
e ele logo cresceu.

Esse meu dedo azul,
foi o rio que pintou;
com avô fui pescar,
e meu peixe voou!

O meu dedo amarelo,
só me dá confusão.
Fica dizendo a todos,
que não faço a lição

O dedo mais bonito
fica assim bem rosado,
pois é do coração,
e é bem comportado.

Esse meu dedo escuro,
eu mesma que pintei
pois fui brincar com fogo
e então me queimei.





Crescendo e aprendendo

Quando eu nasci
Não sabia fazer quase nada...
Mamava, chorava,
Fazia xixi e cocô,
Fazia mãnha, dormia, acordava...
Fui crescendo devagarinho,
E a cada dia
Aprendia um pouquinho...
Aprendi a bater palminhas,
Aprendi a engatinhar,
Aprendi a caminhar,
Aprendi a falar...
Fui crescendo e aprendendo...
Hoje sei fazer muitas coisas:
Sei dançar, sei cantar,
sei falar, sei correr e pular...
Mas sei também
Que ainda tenho
Muito para aprender.
Sei que quanto mais aprendo,
Mais coisas poderei fazer.
E assim vou aprendendo
A conhecer o mundo
Que é cheio de encantos e magia,
Que é cheio de amor, natureza e poesia...


AO TRABALHO !

Poemas para crianças - TICE





Tenho fome!Tenho fome !
grita o dedo polegar.
Quem não trabalha não come!
lastima-se o anelar.

Que havemos de fazer?
clama o dedo maior.
Para aqui vamos morrer!
chorava o indicador.

Eo mínimo diz então:
Temos tudo: agasalho,
água, lume, vinho e pão,
se formos para o trabalho!

AR DE NOVO PEQUENINA

criança

Olhando as crianças brincando
Comecei a pensar
Talvez quando eu era criança
Adulta eu queria ficar...

E mil lembranças
Voltam em minha mente
De quando eu era pequenina
Uma criança somente.....

Muitas recordações...
Dias felizes....as
emoções
E ate das tristezas
Que um dia tive....

Sera mesmo que aproveitei?
Sera que eu valorizei?
A grandeza......a
alegria..
Aquela vivencia em plena "folia"?

Sera que o adulto eu analisei?
Sera que eu acreditei?
Que tudo seria melhor quando eu crescesse?
E adulta eu fiquei!!!!!

E hoje quero confessar
Que a infância me fascina...
E que eu daria tudo....
Pra ficar de novo pequenina!






Criança


Poemas para crianças - TICE


Criança esperta
Curiosa,
Observadora
Que questiona
Que brinca
Sim!
Criança
Que vive a correr,
Que vive a pular
é a promessa
que vai acontecer
Que vive a sonhar
é a esperança.
Que vive a “inventar”
Que vive entre sonho e a realidade
do que poderíamos ser...
é a inocência
que deveríamos ter.
Você é a criança da esperança.
Esperta
Curiosa
Observadora
Sonhadora
Que sempre questionou
Que sonhou
E que como adulto aprenderá a ser
E a fantasia continuar a ter.








O Pica-Pausao O pica-pau fica
picando,
futrica,
bica, bica, bica.
Puxa um bichinho,
estica, engole;
vai no galho duro,
vai no galho mole;
bate, bate, bate,
faz barulheira
na floresta
inteira,
pica, bica, fica
buscando bichinho
comendo tudinho
ficando gordinho!



Figuras geométricas
Poemas para crianças - TICE
Eu sou o círculo
Sou igual à lua
Esou o mais bonito
Lá da minha rua

Eu sou o triângulo
tenho três bicos
De chapéu sirvo
Para os palhacinhos

Eu sou o quadrado
Bonito demais
Tenho quatro lados
todos iguais

Eu sou o rectângulo
cresci mais dos lados
para ganhar pontos
Ao senhor quadrado.


Passarinho
Poemas para crianças - TICE

Passarinho, passarinho
Anda cá que vai chover
Leva comida para o ninho
Lá não tens que comer

Passarinho, passarinho
Andas sempre a saltar
Vai apanhar um bichinho
Pra fominha matar

Cai a chuva miudinha
em gotinhas no telhado
O passarinho aflito
Fica de penas molhadas

Primavera
Poemas para crianças - TICE

Que linda é a Primavera
As flores a abrir
Os passarinhos a cantar
E as crianças no jardim a brincar

Uma andorinha preta
Me bateu à janela
E contente anunciava
Que chegara a Primavera
Ou era eu que sonhava?

Todas as flores são lindas
Bonitas como crianças
São elas que se igualam
Ao sorriso das crianças.


Gato e PeixePoemas para crianças - TICE
Meu gato se chama Peixe,
meu peixe se chama Gato.
Gato não gosta de Peixe,
mas Peixe gosta de Gato.

Peixe dorme num sapato,
não cabe mesmo num prato.

Gato só pensa em nadar,
nem vê o rato passar.

Sobe e desce sem ruído,
mostra sua cara no vidro.

Peixe não quer dormir,
vive no telhado a bulir.

Se encolhe todo de frio,
olhando a onda do rio.
Peixe faz uma cara feia,
e Gato some na areia!

O Gato Mansinho

O gatinho que morasao
naquela mansão
é muito mansinho.
Quando ele descobre
novelos de lã
começa a novela:
um pássaro passa,
o gato se engata,
rola pela porta
mas não se comporta
e sobe na torre
que cheira a torresmo.
Ele logo desce
e por ser levado
toma o elevador,
faz um "o" do rabo
ao entrar na casa
pois tem rabanada
que faz o gatinho
soltar mil miados,
e pular na pia
todo arrepiado.











Primavera

Pela Primavera
Fica tudo florido.
O sol acorda Paisagens adormecidas

O ar está cálido:
Abrem-se as flores
E os grilos cantam
Em alvoroço.

As abelhas cantam
“Levantem a barreira”.
Passe, por favor,
D. Primavera!


Voam borboletas
Por caminhos verdes.
Foi-se embora Inverno
E ele é quem perde!



Sapo Beleza

Lá vem o sapo Beleza.
Vem com frio e sem casaca
e para minha surpresa,
estica a língua e ataca
uma mosca no capim.
Pára, pula e descansa
e na poça do jardim
se admira e tufa a pança. Com seu olho arregalado,
ele olha assim, assim,
e parece interessado
em dizer algo para mim.
Depois pula com destreza
até parece um atleta.
Mas cuidado seu Beleza,
lá vem uma bicicleta.




Moedinha da Sorte

Quando eu brincava na praia
a fazer castelos na areia
achei uma moedinha
que guardei na minha meia.

Fiquei feliz, sai gritando,
dei um mergulho no mar...
segurei o dinheirinho
e deitei para sonhar...

Logo adormeci e sonhei
com as mais lindas fadas
espalhando pela praia
mais moedinhas douradas

Enquanto que eu dormia
a onda veio mais forte
e levou para outro menino
a moedinha da sorte...


O Mosquito Escreve
Poemas para crianças - TICE
O mosquito pernilongo
trança as pernas, faz um M,
depois, treme, treme, treme,
faz um O bastante longo,
faz um S.
O mosquito sobe e desce.
Com artes que ninguém vê,
faz um Q, faz um U, e faz um I.
Este mosquito esquisito
cruza as patas, faz um T.
E aí, se arredonda
e faz outro O, mais bonito.
Oh! Já não é analfabeto, esse insecto,
pois sabe escrever seu nome.
Mas depois vai procurar alguém que possa picar,
pois escrever cansa,
não é, criança?





Sempre Criança
Poemas para crianças - TICE
Menino, vem, vou te levar pra ver
paisagens pra brincar,
não vais querer crescer:
Veja quem vai nos levar
por esse pedaço de céu.
É o meu cavalo Carrossel...

Com o teu jeito de criança,
vais teimar com o vento,
e rir das marcas dos teus pés pelos caminhos.
E um dia já distante,
em uma janela da cidade,
lembrarás desses campos,
com saudades...
FUI NA ESCOLA

Fui na escolaPoemas para crianças - TICE
buscar o meu pincel
pra desenhar um sapo
na folha de papel.

Olha o papo, a perna o pulo.
Olha o sapo no meu pé.
Olha a cara, o coro, a cor.
Olha o sapo de boné.

O boné é amarelo
mas o sapo também é.
Não será mais amarelo
se nele cair café.

Dança na chuva.
Derrama água da pia
e o sapo toma banho
dentro de uma bacia.

A bacia é dourada
cabe aqui na minha mão
só que depois de pintada
tem cara de melão.

O melão é de cera
sementinha de jiló
cada um pega seu par
e pula numa perna só.






Poemas para crianças - TICE Poemas para crianças - TICEPoemas para crianças - TICEPoemas para crianças - TICEPoemas para crianças - TICEPoemas para crianças - TICEPoemas para crianças - TICEPoemas para crianças - TICEPoemas para crianças - TICE
Poemas para crianças - TICEPoemas para crianças - TICE Poemas para crianças - TICEPoemas para crianças - TICEPoemas para crianças - TICEPoemas para crianças - TICEPoemas para crianças - TICE
Poemas para crianças - TICE
Vi um camião cheio de árvores de Natal e cada uma tinha uma história para contar. O motorista, colocou-as em fila e ficou à espera que as pessoas as viessem comprar. Pendurou umas luzinhas brilhantes e uma placa em que se podia ler em encarnado: ÁRVORES DE NATAL PARA VENDER. |Quando o homem se servia de chocolate quente duma garrafa térmica fumegante, uma mãe, um pai e um menino pararam o carro apressados e começaram a procurar a árvore mais bonita de todas.
O rapazinho ia à frente e com um olhar reluzente, exclamou:
- Elas têm cheiro de Natal, mãe! Sinto o cheiro de Natal em todo lado. Vamos comprar uma árvore de quilómetros de altura. A maior que pudermos encontrar. Uma árvore que chegue ao tecto e nem dê para carregar. Uma árvore tão grande que até mesmo o Pai Natal, quando olhar, se admire e diga: "Esta é a árvore mais bela que já vi neste Natal!”
Para achar o pinheirinho perfeito procuraram com muito cuidado. Aqui e ali, e até mais de uma vez, o pai examinou e balançou mais de seis.
- Mãe, mãe, encontrei, encontrei, o pinheirinho do que mais gostei! Tem um raminho partido, mas pode ficar disfarçado. Do anjinho da avó tiraremos o pó e lá no alto ficará a guardar-nos.
- Podemos comprá-la? Por favor, por favor! - pediu com fervor.
- Que.tal um chocolate quente? - perguntou o vendedor indulgente, enquanto abria o termo para aquela gente.
- Isto sim vai aquecer o ambiente! E em três pequenos copos de papel serviu o chocolate quente. Brindavam, esperançosos, a mais um feliz Natal.
- Escolheste muito bem. Esto é realmente o melhor pinheirinho. Feliz Natal - disse o homem, amarrando o pinheiro com um cordão! Mas o rapazinho estava triste porque o preço era alto demais para o que o pai podia pagar.
Foi então que o vendedor lhe fez uma proposta:
- A árvore é tua com uma condição: tens de manter uma promessa. Na noite de Natal, quando te fores deitar e rezar promete guardar no teu coraçãozinho o encanto do Dia de Natal! E agora corre para casa, senão este vento gelado as tuas bochechas vai queimar.
E assim foi, com o vento zunindo, durante toda a noite gelada. O bom homem ofereceu árvore, após árvore, após árvore. Com cada pessoa que apareceu brindou com o chocolate quente.E quem jurou manter a promessa de guardar no coração o encanto do Natal, saiu na noite contente, cantando canções alegremente.
Quando tudo acabou só uma árvore restou. Mas ninguém estava lá para esta árvore adoptar. Então, o homem vestiu o seu grosso casacão e partiu para a floresta com a última árvore da festa. Deixou o pinheirinho perto de um pequeno riachinho, para que as criaturas sem casa pudessem fazer dela a sua morada. E sorria enquanto tirava os flocos de neve que na sua barba encontrava. Foi então que por detrás de um arbusto uma rena quase lhe pregou um susto. Olhou para ela e sorriu. Fazendo uma festinha na grande criatura, pensou com brandura: "Parece que o Natal chegou novamente! Ainda temos muito chão e muitas coisas para fazer! Vamos para casa, amiga, trabalhar neste Natal que vai começar". Olhou para o céu, ouviu os sinos a tocar e, num pestanejar, já lá não estava o vendedor.



Os peixinhos



Dormem numa cama de algas
entre rochas e corais
só não podem bronzear-se
na extensão dos areais
Porque peixes fora de água
não conseguem respirar
mexem as guelras depressa
e voltam logo ao mar
Os peixes de muitas cores
das águas fundas dos mares
sabem por ovos fresquinhos
com peixes aos milhares
Poemas para crianças - TICEDona Pescada Merlusa
foi um dia convidada
para ir ao baile dos peixes
e para ir bem mascarada
Mascarou-se de moreia
e enfeitou as barbatanas
fez um buraco na areia
e limpou bem as escamas
Os peixes de muitas cores
das águas fundas dos mares
sabem por ovos fresquinhos
com peixes aos milhares
"Para onde vai mascarada,
Dona Pescada Merlusa?"
"Vou para o baile dos peixes
com uma saia e uma blusa".
"E quando voltar do baile
venha dar-me boas novas;
e que tal se esta noite
nos desse um pratinho de ovas?"
Os peixes de muitas cores
das águas fundas dos mares
sabem por ovos fresquinhos
com peixes aos milhares




Duas Estrelas

Poemas para crianças - TICEPoemas para crianças - TICE
A estrela que está no céu
Pôs-se um dia a voar
Viu outra estrela nas ondas Era a estrela do mar
As duas estrelas se olharam
E ficaram encantadas
Juntas nadaram, voaram
Duas estrelas apaixonadas
E ao darem o primeiro beijo
Tornaram-se uma estrela cadente
Se a vires, pede um desejo
Como faz tanta gente.

A Formiguinha...
formiguinha




A formiguinha coitadinha
cansada de trabalhar
carregava sua folhinha
só pensava em descansar... Ao chegar no formigueiro
encontrou um tremendo bafafá
suas irmãzinhas temiam o traiçoeiro
tamanduá... A formiguinha correu ligeiro
e a folhinha carregou
achou um novo formigueiro
onde a depositou... Era um formigueiro protegido
perto de um rio corrente
o tamanduá temido
ali não seria valente... Penou o dia inteiro
e resolveu descansar
com um doce açucareiro
pôs-se a sonhar! Sua vida trabalhosa
era dura e azêda
sonhava com os doces da roça
na casa da Dona Lêda... Lá entre potes de goiabada
viveu anos esquecida
até ser expulsa, coitada,
culpa do inseticida ! Lambuzou-se com o mel
de sonhos açucarados
acordou e olhou ao léu
lembrando do pesado... Lá se foi a formiguinha
para mais uma batalha
mesmo pequenininha
diariamente trabalha... Sua vida é assim
e esperta ela olha
procurando entre capins
encontrar suas folhas... Quando chegar o frio
Ela terá sua comida
e perto do leito rio
estará protegida... A forminguinha sabe que o inverno
não custa a tardar
e de seu trabalho eterno
irá se beneficiar!

"Sempre criança"

Menino, vem vou te levar pra verCriança
paisagens pra brincar,
não vais querer crescer:
Veja quem vai nos levar
por esse pedaço de céu.
É o meu cavalo Carrossel...

Com o teu jeito de criança,
vais teimar com o vento,
e rir das marcas dos teus pés pelos caminhos.
E um dia já distante,
em uma janela da cidade,
lembrarás desses campos,
com saudades...

Poema de Rosa Clement



A BONECA

Deixando a bola e a peteca,
Com que inda há pouco brincavam,
Por causa de uma boneca,
Duas meninas brigavam.

Dizia a primeira: "É minha!"
— "É minha!" a outra gritava;
E nenhuma se continha,
Nem a boneca largava.

Quem mais sofria (coitada!)
Era a boneca. Já tinha
Toda a roupa estraçalhada,
E amarrotada a carinha.

Tanto puxaram por ela,
Que a pobre rasgou-se ao meio,
Perdendo a estopa amarela
Que lhe formava o recheio.

E, ao fim de tanta fadiga,
Voltando à bola e à peteca,
Ambas, por causa da briga,
Ficaram sem a bone
O Livro Eu sou um livro,
sou importante.
Tenho um trabalho
emocionante

É com palavras
que me sustento
e nelas levo
conhecimento.

Se alguém procura
o que fazer,
sou opção
de bom lazer.

Eu posso ser
muito engraçado,
deixar você
bem humorado.

Eu posso ser
seu professor
e lhe ensinar
com todo amor.

Eu posso ainda
ser seu amigo,
levar você
sempre comigo.

Eu só não posso
fazer careta
se me abandonam
numa gaveta.
Poemas para crianças - TICE





Entra neste poema de encantar Todos os dias



SENHOR ELEFANTE Senhor elefante É muito trombudo.
É pouco elegante
E muito orelhudo. Mas bichinho simpático E bem brincalhão, Até faz ginástica Sem cair no chão.
O ELEFANTE Um elefante Tem que ter atenção É um bicho gigante Não cabe na televisão Se esticam sua pele Parece um balão Deitado no papel É um grande borrão E se você julga Que parece mal Falar assim deste animal Pode pôr uma pulga Como ponto final. NA SAVANA AFRICANA Fomos ver as focas O urso, o camelo Mais o crocodilo E a cobra capelo. A girafa é muda, O tigre arrogante, O meu preferido É o elefante! O macaco tonto É um bom farsante Gosto muito mais Do gordo elefante! Com medo do leão, Pasmei adiante. O Rei do Jardim É o elefante!


Mágico Couve-Flor

Era uma vez num jardim,
um lindo couve-flor
que não era só branco,
mas sim de toda cor.

"Não era pintura não"
falou a dona chuva,
lavando o couve-flor,
roxinho como a uva.

"É uma pedra macia"
gritava o sapo tolo,
que viu o couve-flor
da cor de um tijolo.

"Uma nuvem lá do céu!"
cantou um passarinho,
porque o couve-flor,
ficou bem azulzinho.

Por lá passou o pavão,
que de preocupado,
bicou o couve-flor,
já todo matizado.

Quando era escurinho
chegavam todas as flores
enchendo o couve-flor
com suas mágicas cores.



Viva a Paz!

A Paz é linda
A Paz é uma flor
Que não dá guerra
Só dá Amor.
É uma sensação
Muito boa ver
O mar, o céu e
Outras coisas
Mais.
Quando essa flor murchar Não é bom sinal.
Mas se a regarmos bem, Ela vai recuperar.
A paz é linda, tão linda como a luz do sol!
Não há nada assim!
Mas temos que a conservar para a podermos ouvir, sentir olhar e adorar.
É pena que haja pessoas Que não a querem amar!
Mariana Semedo
Jan 2001 - Ovar
Emma Jan 2001
EB S. João-Ovar



A paz
Paz
A Paz é uma flor.
E quando essa flor murcha
Quer dizer guerra.
E nós não gostamos da guerra, pois não?
Mas para não ficar murcha
Tem de se regar.
Por isso tratem bem
Essa planta.
Adoro a Paz
E o Amor
E fico contente
Quando me dão uma flor.
Nuno Jan 2001
EB S. João-Ovar
Ana Filipa Jan 2001
EB S. João-Ovar



Um lindo Sonho
Numa noite comum
Olhando para o céu,
Encontrei a lua,
A Lua cor de mel. Uma ave surgindo
Do meio da constelação,
Me levou para a lua
Na maior emoção. Quando cheguei lá,
Duas trilhas avistei,
escolhi a da direita,
A esquerda já nem sei... — Estou num conto de fadas
Podem acreditar!
Essa poesia,
Não dá pra explicar... Percebi que era sonho
Quando despertei,
Mas a lua estava lá
A procura do seu Rei.

http://www.blocosonline.com.br/literatura/poesia/pinf/pinf0024.htm


O presente
Numa caixa bem bonita,
Enfeitada de brilhantes,
Com uma fita colorida,
E desenhos fascinantes.

Não sabia pra quem era,
Então resolvi abrir,
Era uma luz muito bela
Parecia vir a mim.

Era um espelho.
Eu estranhei,
Como presente,
Não quero mais...

Mas descobri que ele tinha
Uma grande qualidade,
Lia a vida de todos
Com tanta facilidade...

http://www.blocosonline.com.br/literatura/poesia/pinf/pinf0025.htm


AS FLORES DA PRIMAVERA
Primavera! Primavera!
mas que linda estação,
e com o som da natureza
nós ouvimos esta canção.
Primavera! Primavera!
que bela a estação:
muitas flores neste tempo,
isto é uma paixão.
As flores já estão a crescer,
e o sol já está a nascer,
o girassol vive rodando,
e as pessoas, pela rua,
vão andando.


O cadeirão das estações
Já se ouvem as trombetas anunciando a chegada,
a saudá-la vão as aves,
da rainha tão esperada.
D.Inverno perguiçoso,
Dorme a sesta descansado.
“ Vou dormir um bocadinho,
ainda estou no meu reinado”.
Há cheiro de flores no ar,
no céu canta a passarada,
É primavera que chega,
logo vai ser coroada.
D.Inverno, confundido,
desperta do seu torpor.
“ Que será? Que aconteceu?
Começo a sentir o calor!”
Todos correm a guardar o seu casaco comprido.
Fazer colares de flores é muito mais divertido!
D.Inverno meditou e encontrou a solução:
como bons amigos que somos,
vamos trocar de estação.
A Primavera, paciente,
deixa o tempo passar.
D.Inverno, inteligente,
vai-se embora devagar.
Beija a mão da Primavera e inclina-se a seus pés e com esta cortesia se despede:
“ Até outra vez”.

A Primavera está aqui
Susaninha é uma rã
Que vive no meu jardim,
E anuncia alvoraçada:
- A Primavera está aqui!
Lá acorda a tartaruga,
coaxando, sempre ruidosa:
- Levanta-te, é Primavera!,
não sejas tão preguiçosa!
Coaxando e dando saltos,
com as patas dianteiras cumprimenta os passarinhos que voltam com a Primavera.
-Formigas trabalhadoras,
Venham para o jardim brincar,
A Primavera chegou
E o sol está a brilhar!
Chegam também borboletas
adejando sobre as flores
E em torno delas murmuram:
- Que maravilha de cores!

Poesia para ti, Mãe
Diz a minha educadora:
O “m” e o “a”, o “m” e o “ã”,
Quando vão juntinhos,
Lêem-se Mamã.
Um e um são dois,
“ma” e “ma”, Mamã;
a Mamã me mima,
me mima a Mamã.
Minha Mãe, como é?
Tu queres saber?
Pego nestes lápis
e logo vais ver.
Eu vou já mostrar,
logo de manhã,
como é o sorriso da minha Mamã.
E no meio do corpo
eu vou desenhar um coração grande,
maior que o mar.
depois ponho os braços, grandes,
e umas mãos,
que fazem um ninho junto ao coração.
É ai que eu fico,
quando estou mais triste,
e ao colo da mãe o mal não existe.
A Mãe é uma fada que sabe curar:
só com os seus beijos deixo de chorar.


Um dia feliz….. com beijos!

Vou dar beijos na tua cara….. e só páro quando disseres…… pára! Um beijinho no teu nariz…… e fico muito feliz. Beijo a tua barriguinha…. para te fazer uma coceguinha…. Um beijinho no teu pé…. repenicado é que é. Um beijo na tua mão…. e não me digas que não. Beijos dados com amor e vontade…. sabem-nos bem de verdade.


A minha família

Se eu soubesse voar, subiria até ao céu e escrevia nas nuvens o muito que lhes quero eu. Se eu soubesse mergulhar, ia até ao fundo do mar buscar o coral mais belo que havia de lhes dar. Isso não posso eu fazer! então eu faço um desenho, com carinho e com prazer e com todo o amor que tenho.


Jogo/trabalho

Brincando na escola posso descobrir qual é o trabalho que gostava de seguir. Trato o meu gato como o veterinário; selo envelopes como o funcionário. Com tábuas de madeira sou um construtor; pintando com pincéis imito o pintor. Se te faço um penteado, sou um cabeleireiro; se construo uma ponte, sou um engenheiro. Actuar ou tocar, cantar ou dançar, em artista famoso me quero tornar. Aqui na escola que bom é brincar a descobrir ofícios para trabalhar!


anamagalhaes
anamagalhaes
Latest page update: made by anamagalhaes , Jul 4 2008, 12:08 PM EDT (about this update About This Update anamagalhaes Sempre Criança - anamagalhaes

66 words added

view changes

- complete history)
Keyword tags: poemas sapo
More Info: links to this page
There are no threads for this page.  Be the first to start a new thread.